O “chá das cinco” inglês com graxa e fumaça

2014-jaguar-xkr-s-gt-head-2-head-2015-aston-martin-v12-vantage-s

Esta semana a revista norte-americana Motor Trend soltou um vídeo no YouTube com o jornalista Carlos Lago (aquele que sabe menos do que o Jonny Lieberman, só que não é tão feio de se olhar quanto o barbudo e por isso faz mais sucesso) avaliando simultaneamente dois esportivos britânicos, um da Aston Martin e outro da Jaguar. Vejamos a sinopse deste Blockbuster:

On this episode of Head 2 Head, Carlos Lago pits two great Britons against each other: the Aston Martin V12 Vantage S and the Jaguar XKR-S GT. The similarities between these two run deep. Base price and power are similar, and both have carbon ceramic brakes, adjustable dampers, and Pirelli P Zero Corsas. The factories responsible are 37 miles from one another; it’s easy to imagine the engineering groups meet for warm beer — or tea. Which one deserves the bragging rights? This week, we find out!

Wow! Qual será a conclusão épica deste episódio? Teremos quase 20 minutos de tensão até chegar lá. Estou torcendo para a Aston Martin porque eu tenho a coleção do 007 aqui em casa. E a Jaguar soltou um clipe do F-Type Roadster com o Damian Lewis, o terrorista que morreu enforcado semana passada patriota do seriado Homeland. Mas eu não gostei porque não foi com a Claire Danes.

Eita, o XKR-S GT venceu. Ele é melhor do que o V12 Vantage S em muitas coisas, apesar de ter muitas falhas como esportivo. Eu não consegui entender direito o vídeo porque não estava prestando muita atenção, tinham acabado de me perguntar no WhatsApp qual era a diferença entre o 911 Boxster e o 911 Turbo e percebi que eu não devia ter aberto o aplicativo. De qualquer forma, gostei muito das descrições do Carlos sobre como os carros se comportam em curvas sinuosas nas estradas. Depois eles até colocaram o piloto de corrida associado à Motor Trend pra ensinar todo domingo como calibrar os pneus para dar uma volta na pista com os dois ícones britânicos.

9530735324_0966c2c4d0_o

Agora vem cá, pra que serve mesmo tudo isso? Além de gerar discussão inútil em grupo de carros sobre a tecnologia de cada um, apenas o Sr. John Smith lá de Portland, Oregon, que é muito bem casado, tem 54 anos e juntou US$200,000 para comprar seu esportivo. Só que o Sr. Smith tem bom gosto e quando criança viu 007 contra Goldfinger. Ele percebeu que deveria ter um Aston Martin porque isto inconscientemente o elevaria ao posto de Sean Connery. Então ele vai lá na concessionária local pra avaliar os modelos. Obviamente ele vai direto para o Vanquish, o mais bonito de todos depois do One-77, só que ele custa US$300,000. “Mas temos o DB9, Sr. Smith. Este custa a partir de US$180,000. Um completo não passa muito da verba do senhor”. Nosso amigo estava quase assinando o cheque, contente com a compra de olhos fechados, quando o vendedor tira a carta na manga. “Mas temos este amarelo aqui, o V12 Vantage S, com a mesma potência do Vanquish, só que com um câmbio de F1, menos peso e mais compacto. Este aqui cabe só o senhor e a sua patroa, é mais esportivo”.

Uhh, mas agora o Sr. Smith se projetou com uma Bond-girl ali. Só os dois, sem os netos.

james-bonds-aston-martin-db5-for-sale-by-rs-williams--image-rs-williams_100417821_l

Isto é fácil de imaginar, pois o V12 Vantage S ainda é um Vantage quase normal. Agora o XKR-S GT… Se o XKR-S já era xuning, o que dizer do GT? Nunca que o Sr. Smith irá comprar um carro com antena parabólica na traseira e umas barbatanas de tubarão na frente. Na verdade o Sr. Smith nunca irá colocar o carro perto de um autódromo. Vai passear com a patroa pra se sentir mais viril e talvez com os netinhos aos domingos, pra mostrar como o motor tem um ronco bonito e como o vovô tem bom gosto que nem o James Bond.

Certa vez li na coluna do Harry Metcalfe, ex-dono da evo Magazine, e ele comentava sobre a Aston Martin e a falta de “investimento” em tecnologia. Bom, em carroceria de alumínio eles investem. E ainda mantêm o motor V12, coisa escassa hoje em dia. Tirando superesportivos, você só o adquire em meia dúzia de sedãs de luxo europeus. Nem o câmbio automático de 6 marchas precisava mudar, pois o interesse dos donos não é fazer punta-tacco e nem que a relação de marchas seja curta e perfeita. Pelo contrário, querem ouvir o máximo possível o giro do V12 subindo. E mesmo assim carros como o V12 Vantage S e o Rapide S 2+2 Lars Grael existem.

Sem Título

Se pensarmos assim estas marcas não evoluem e se não acabarem nas mãos de grupos de bilionários indianos e chineses vão é fechar as portas no fim do ano. De “chá requentado” eles já vivem, o que custa fazer chá duplo (Rapide), chá de terra (SUV da Jaguar que não quero saber nem o nome) ou chá com whisky e pimenta, como esses dois esportivos da avaliação, meu caro Matheus? Talvez a solução seja diversificar mesmo a linha para que façam os grã-turismos que queremos. Se não fosse o Boxster e a Cayenne a Porsche não teria sobrevivido ao fim do milênio, não é mesmo? Olha lá… A Jaguar fez o F-Type e a Aston Martin agora anunciou parceria em motores com a Mercedes-AMG.

photo

Quase todas as marcas que existem há décadas já estupraram sua Constituição, seus princípios básicos, seus valores. Fazer SUV a Aston Martin quase o lançou através da Lagonda. A Jaguar tem a Land Rover para fazer isto, mas por uma razão desconhecida, que foge ao meu QI, eles irão fazer um com emblema da Jaguar. Eu aceito, me dou por vencido! Mas XKR-S GT e V12 Vantage S? Mais insano do que isto é avaliá-los e caçar cabelo em ovo para achar um vencedor do duelo épico. Ou pior, perder tempo escrevendo este texto aqui.

Sorte a nossa que existem o DB9 e o F-Type Coupé. Eles ainda têm um quê do passado glorioso. Se eu fosse o Sr. Smith teria aberto uma poupança no Caribe desde cedo e agora estar procurando em um leilão por seu Aston Martin DB5. Caríssimo sim, mais caro até do que o Vanquish, só que vale cada centavo pra mim, imagine para o nosso cinquentenário. Mas nem tudo está perdido, um Jaguar E-Type Series I, uma pechincha perto do Bond car, e não deixa nada a desejar. O carro mais bonito do mundo, disse Enzo Ferrari. Eu às vezes concordo em gênero, número e grau. Guiar um clássico desses é, como um amigo meu brinca, ser um “barão”. Com o DB5 você brinca de James Bond. Com o E-Type agora é de Don Draper. Nunca viu Mad Men? Não perde tempo vendo seriado? Então por que vai ao cinema ver Jogos Vorazes? Por que leu esse texto inútil até o final?

Amanhã vou conferir uma Maserati GranTurismo MC Stradale. O carro segue a mesma imbecilidade dos exemplares acima. Eu até pensei em fazer uma avaliação, mas seria tão óbvio que vou preferir perder o tempo ouvindo o ronco gutural daquele V8 mais um pouco.

aston-martin-db5-goldfinger

11028703516_88ca816856_o

DB5 e E-Type possuem o straight-six e você nem se tocou até agora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s